Ter, 12 de Dezembro de 2017
Banner
NewsLetter

O SUS é para todos – você faz parte disso:

TABELA SIA-SUS

A Organização Mundial da Saúde define o Sistema de Informação em Saúde (SIS), como um mecanismo de coleta, processamento, análise e transmissão da informação necessária para planejar, organizar e avaliar os serviços da saúde. As informações registradas no SIS são fundamentais para o profissional que gerou o registro, para a chefia da unidade de saúde e para os gestores nos diferentes níveis de decisão (municipal, estadual e federal).

Os profissionais de saúde por meio do SIS podem monitorar, avaliar, planejar o trabalho realizado e implementar novas estratégias de atuação. Para os gestores locais as informações geradas descrevem quali e quantitativamente os serviços realizados, direcionando ações, formulando políticas locais, demanda de serviços de recursos humanos, materiais permanentes e de consumo. O município de posse das informações, avalia e programa recursos para investimento na contratação de novos profissionais, serviços e insumos gerais, construindo políticas municipais de saúde compactuadas com a população, assim como alimentando o banco de dados nacional. O gestor estadual vai operar os sistemas de informações, prestando cooperação técnica aos gestores municipais nesta área. Acompanhando o repasse de verbas e gastos dos municípios, assim como as revisões das tabelas do sistema de informação ambulatorial (SIA).

Ao ministério da saúde cabe o controle e avaliação dos sistemas de informações hospitalares e ambulatorias do SUS. Na home page do DATASUS (http:www.datasus.gov.br) sob a imagem de "Informações em Saúde", é possível obter dados sobre a rede ambulatorial e hospitalar do SUS.

O Sistema de Informação Ambulatorial (SIA), apresenta o formato de tabela, códigos inteligentes que identificam os procedimentos e sua descrição. A Fonoaudiologia está representada como atividade profissional através do número 54 e tem procedimentos previstos nos níveis de Média Complexidade, Procedimentos Especializados (Grupos 7, 17 e 19) e de Alta Complexidade (Grupos 38 e 40). Apesar da importância das informações geradas pelo SIA-SUS, anteriormente apontadas, os fonoaudiólogos que trabalham nos serviços públicos e conveniados, registram pouco as atividades desenvolvidas, devendo-se possivelmente: ao desconhecimento sobre a grande diversidade de sistemas de informações nacionais, estaduais e municipais, inacessibilidade das informações, desconhecimento dos procedimentos possíveis de registro na área da Fonoaudiologia, bem como da tabela do SIA-SUS, entre outras. Esperamos que a compreensão do fonoaudiólogo da importância do registro de suas ações possa repercutir num aumento gradual e significativo do número de procedimentos registrados.

Os fonoaudiólogos que em seus locais de trabalho não procedem ao registro dos procedimentos no Sistema de Informação Ambulatorial (SIA-SUS), devem buscar com suas gerências locais e conselhos regionais, subsídios e apoio para que possam ter sua prática reconhecida e legitimada. O Comitê em Saúde Pública da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia e a Comissão Interconselhos de Saúde realizaram fóruns de discussão da Tabela de Procedimentos no SIA-SUS, objetivando identificar e discutir os procedimentos fonoaudiológicos lá contidos. Estes dados encontram-se no site do CFFa, sob o título Procedimentos SIA/SUS.