Ter, 12 de Dezembro de 2017
Banner
NewsLetter

    confira-videos

      icon-twitter icon-facebook icon-Gmais 

Bebês que ouvem música ainda no útero possuem um melhor desenvolvimento cerebral

hits: 3036
por Kendra Chihaya
Sex, 01 de Novembro de 2013 00:52
PDF Imprimir E-mail


Pesquisadores Universidade de Helsink afirmam que os bebês desenvolvem um melhor sistema de aprendizagem e são capazes de se lembrar das músicas que ouviram durante a gestação após o nascimento.

 

Fotolia 21607108 XSQue os bebês eram capazes de ouvir antes de nascer e até mesmo desenvolver a linguagem nativa ainda no útero, os cientistas já sabiam. Nesta nova pesquisa da University of Helsinki da Finlândia, os cientistas descobriram que bebês que também são expostos à música ainda no útero possuem um melhor desenvolvimento cerebral, sendo capazes de se lembrar das melodias após o nascimento. De acordo com estudos anteriores a partir da 25º semana de gestação os fetos já conseguem responder a estímulos auditivos. Ou seja, após o nascimento o bebê já tem de 2 a 3 meses de experiência auditiva. Neste novo estudo os autores mostram que a memória a longo prazo e o sistema de aprendizagem no cérebro também são desenvolvidos neste período crítico em que ocorre o desenvolvimento do sistema auditivo do feto.

 

Na pesquisa, os bebês que foram expostos à música: "Brilha, brilha estrelinha", enquanto ainda estavam no útero mostraram sinais de recordar da música até quatro meses após o nascimento. "Mesmo que já comprovado previamente que os fetos poderiam aprender pequenos detalhes de discurso, não sabíamos quanto tempo eles poderiam reter a informação. Estes resultados mostram que os bebês são capazes de aprender em uma idade muito jovem, e que os efeitos da aprendizagem, aparente, permanecem no cérebro durante um longo período de tempo." diz o neurocientista cognitivo Eino Partanen da Universidade de Helsinki, responsável pela pesquisa.

 

Embora necessitem de outras pesquisas para comprovar o quanto é benéfico à exposição de bebês à música, ainda no útero, para um melhor desenvolvimento do sistema cerebral de aprendizagem das crianças. Acredita-se que estes bebês terão uma maior facilidade de aprendizagem futura, bem como uma maior facilidade de comunicação.

 

Assim, fornecer para seu bebê um ambiente uterino rico em música e linguagem (falar ou ler para o seu bebê)  é uma ótima maneira de se relacionar com o seu bebê, além aumentar a memória e melhorar a aprendizagem. Porém, isto não significa que seu bebê será superdotado ou um gênio de Harvard.


Sobre o Estudo

Doze mulheres finlandesas e de língua sueca e bilíngues com gestações únicas não complicadas participaram do “grupo de aprendizagem”. Além disso, doze recém-nascidos saudáveis de famílias suecas e finlandesas de língua finlandesa e bilíngues foram recrutados após o nascimento para o chamado “Grupo de Controle”.

 

As mães do grupo de aprendizagem tocaram um CD de aprendizagem com o volume alto em casa (cerca de 75 - 85 dB SPL) 5 vezes por semana a partir da 29º semana de idade gestacional até o nascimento e devolvendo o CD para a equipe de pesquisa após o parto.

 

baby lullabyOs pesquisadores então mediram a atividade cerebral através da pele de todos os recém-nascidos logo após o nascimento e novamente aos quatro meses de idade, para ver se algum aprendizado havia ocorrido.  No grupo de aprendizagem, quando as crianças ouviram as melodias originais do CD, bem como uma melodia modificada com algumas notas alteradas, ou mesmo em outro idioma, os autores descobriram que a atividade cerebral do “grupo de aprendizagem” era muito mais forte que a atividade do “grupo de controle” e este efeito duraram mesmo após os quatro meses de idade, quando ambos já possuíam uma experiência auditiva pós-natal.

 

Os investigadores concluíram que: "Nossos resultados mostram que a extensa exposição pré-natal a uma melodia induz representações neurais que duram vários meses. Tomados em conjunto, os nossos resultados mostram que a exposição pré-natal a música pode ter efeitos plásticos de longo prazo sobre o cérebro em desenvolvimento e aumentar a capacidade de resposta neural aos sons usados na formação de pré-natal, um efeito anteriormente apenas demonstrada em modelos animais. Além disso, verificou-se que essas mudanças de plástico são de longa duração, como o efeito da exposição pré-natal persiste por pelo menos por quatro meses, sem qualquer estímulo adicional."

 

No entanto, mais estudos são necessários para esclarecer os mecanismos específicos de reforço da capacidade de resposta neural induzida pela estimulação pré-natal, e para determinar se esse estímulo pode ser usado para aliviar os déficits no processamento auditivo.


 

Referência: Partanen E, Kujala T, Tervaniemi M, Huotilainen M (2013) Induz pré-natal Música Exposição Efeitos Neurais Longo Prazo.  PLoS ONE 8 (10): e78946.  Doi:10.1371/journal.pone.0078946


 

Fonte: Public Library of Science ONE / The Guardian


 

Leia Mais:

Bebés conseguem ouvir no útero

Bebês surdos devem aprender língua dos sinais nos primeiros meses de vida

Bebés prematuros com mais risco de perda auditiva - razão revelada

Cinco importantes razões para você fazer triagem auditiva  

Hábitos de risco para a saúde que contribuem com a perda auditiva