Ter, 12 de Dezembro de 2017
Banner
NewsLetter

    confira-videos

      icon-twitter icon-facebook icon-Gmais 

Carinho de mãe ajuda no desenvolvimento da linguagem de crianças com autismo e perda auditiva

hits: 29134
por Kendra Chihaya
Qua, 10 de Abril de 2013 23:28
PDF Imprimir E-mail

Crianças com transtornos de autismo e perda auditiva tiveram melhores resultados na aprendizagem da linguagem oral quando as mães interagiram com maior sensibilidade com seus filhos

 

smallmumhuggirlPesquisa do Departamento de Psicologia da Universidade de Miami - EUA afirma que o carinho da mãe e sua sensibilidade em interagir com seus filhos que possuem transtorno de autismo ou perda auditiva é essencial para o desenvolvimento da oralidade das crianças. De acordo com a pesquisa, as crianças que tiveram um envolvimento mais sensível de suas mães em seus tratamentos, aprenderam a linguagem oral mais rápido do que outras.

 

De acordo com os coordenadores da pesquisa: Alexandra L. Quittner - Pisicóloga, Diretora da Divisão da Criança do Departamento de Psicologia da Universidade de Miami; Daniel Messinger - Professor Associado da Universidade de Miami; e, Jason K. Baker, PhD - Co-diretor do Centro de Autismo da Universidade da Califórnia. A sensibilidade materna foi medida em interações gravadas com os filhos, e definida por meio do grau em que a mãe expressou carinho, apoio emocional, capacidade de resposta às necessidades das crianças e à forma de envolvimento da mãe na aprendizagem cognitiva e de linguagem de seus filhos.

 

mom and girl readingEste grande estudo buscou compreender o papel do comportamento dos pais no desenvolvimento do idioma de crianças surdas (que receberam implante coclear) e com transtornos de autismo. E resultados mostram a necessidade de oferecer um treinamento para os pais lidarem com seus filhos que possuem algum destes problemas, para facilitar uma relação pais-filhos mais positiva, que promova o desenvolvimento das crianças. Visto que, segundo os autores da pesquisa, a forma com que os pais interagem com estas crianças pode representar uma melhora ou piora nas habilidades de comunicação e na vida diária das mesmas.

 

"Fiquei surpresa como a sensibilidade materna teve efeitos tão fortes e consistentes sobre aprendizagem da linguagem oral das crianças" diz Quittner. Já Baker diz que: "A mensagem aqui é que os pais podem fazer a diferença em ajudar seus filhos a lutar e superar seus transtornos".

 

Sobre a Pesquisa de Crianças Surdas

Durante 08 anos, 188 crianças com perdas auditivas graves e profundas e com idades entre cinco meses e cinco anos, que receberam implante coclear, foram avaliadas e filmadas durante suas interações com seus pais.

 

Além de analisar os efeitos da "sensibilidade materna" sobre o desenvolvimento da linguagem, o estudo também analisou o impacto da estimulação da linguagem cognitiva.

 

As interações pai-filho e mãe-filho foram observadas e decodificadas separadamente em atividades que incluíam jogos livres, quebra-cabeças, e a montagem de uma "galeria de arte" com cinco cartazes colocados em diferentes alturas das salas de jogos.

 

Crianças surdas com pais "sensíveis" e carinhosos tiveram apenas o atraso de 01 ano na linguagem oral em comparação com as crianças com pais "menos sensíveis" que tiveram um atraso de 2,5 anos no desenvolvimento da linguagem oral-cognitiva.

 

O estudo que foi financiado pelo National Institutes of Health (NIH), acaba de ser renovado, para que os pesquisadores possam acompanhar estas crianças por mais 5 anos, até a adolescência. Os objetivos agora vão se concentrar no desenvolvimento cognitivo e social, bem como no desempenho acadêmico destas crianças.


(Referência: Alexandra L. Quittner, Ivette Cruz, David H. Barker, Emily Tobey, Laurie S. Eisenberg, John K. Niparko. Efeitos da sensibilidade materna e estimulação cognitiva e lingüística sobre Desenvolvimento usuários de implante coclear 'Língua quatro anos. The Journal of Pediatrics , 2013; 162 (2): 343 DOI: 10.1016/j.jpeds.2012.08.003 )

 CHILD Encouraging Behaviour


Sobre a Pesquisa com Crianças Autistas

Na avaliação que durou 18 meses, os pesquisadores avaliaram em laboratório 33 crianças com idades de 18, 24, 30 e 36 meses de idade. Durante esta avaliação, os pesquisadores filmaram por um período de cinco minutos a interação do pai-filho e mãe-filho, separadamente. Os pais foram convidados para agir, em jogos livres, como se estivessem em casa.

 

Os aspectos da "sensibilidade" foram marcados em sete pontos de escala que vão desde a ausência de comportamento sensível ao comportamento extremamente sensível. Linguagem infantil foi avaliada nas crianças de 2 e 3 anos.

 

O estudo que também foi financiado pelo NIH, teve suas conclusões de pesquisas em paralelo com a pesquisa anterior, indicando que quando as crianças com autismo, aumentam sua conexão com o ambiente, com o auxílio da sensibilidade das mães, possuem um desenvolvimento de linguagem cognitivo muito melhor, do que as crianças que não tiveram este suporte.

 

"Atitudes dos pais pode importar mais para as crianças com autismo, porque certas coisas que tendem a se desenvolver facilmente em crianças com desenvolvimento neurológico normal, como a comunicação social, não vêm tão naturalmente para crianças com autismo, que precisam ser ensinadas", diz Baker.

 

(Referência: Jason K. Baker, Daniel S. Messinger, Kara K. Lyons and Caroline J. Grantz. A Pilot Study of Maternal Sensitivity in the Context of Emergent Autism . Journal of Autism and Developmental Disorders , 2010; DOI:10.1007/s10803-010-0948-4 )

 

Fonte: University of Miami


Leia Mais:

Jogos de ação melhoram as habilidades de leitura em crianças com dislexia

Perda auditiva diagnosticada até os 06 meses de idade pode criar quadro próximo de um ouvinte

Cerca de 20% das crianças de até 5 anos tem dificuldades para ouvir

Bebês surdos devem aprender língua dos sinais nos primeiros meses de vida